terça-feira, novembro 28, 2006

NA BU PALMU


Na bu palmu di mon
nha distinu skribidu
na masan di bu orta
serpenti sikidu na porta

tris riu ku na lagua mansu
pa bulanha di bu dedu
nsomba-nsonbadu

bemba di saudadi ku sikidu
maron di djiba ta badja tchintchin
na tchikinidura di bu garasa

Na bu palmu di mon kaminhu
singadura di seu ku tingi lundju
strelas mansebu ta sai sardia
na sara-noiba di lunga badjuda
flur di lalu-kaminhu...

na kada palmu kantiga di nha pasu
kantu frontera dja ku n kamba
djidiu ami i sidadon di mundu
ora ku n na kanta bu nomi
(taibas tchapadu ku kordon di bu tadju)
n ta toka dondon nuven nkanta

ami i sidadon di mundu
na kada tchalasiada di dinoti
n ta furta sunhu di manduragada


(09.07.05)
Ndongle Akudeta

Ouvir http://www.hi5.com/friend/video/displayViewVideo.do?videoId=3425665&ownerId=9874763

segunda-feira, novembro 27, 2006

de repente



De repente vejo
a morte patenteada
na soleira da porta

caixa de correio

recheada de visões

e alucinações

ininterruptas

sou inabalavel

mente

insubmisso

perante sonhos


sou eternamente rejeitado

na esquina da rua

para além da vida


construo barcos

com o pó de sílabas

para a inauguração

da rota experimental

do acaso


já casei com o tempo

e não peço desculpa ao vento

pelo celibato

(isso sim no papel

concebido por interesses do notário)

não deixo impressões em material nenhum

vou-me embora aconchegado no manto da palavra

e exijo um funeral no pico dorsal do vento maestro

Add Image
HO Carvalho

27.11.06

00:29

quarta-feira, novembro 22, 2006

Parabéns

Djambadon está de parabéns

e todos os seus amigos bloggers e leitores

Um ano cheio de energia e inspiração

de liberdade de opinião e de Criatividade


Djambadon agradece aos que fizeram com que este espaço seja um veículo de entretenimento e de reflexão de expressão do laivo de sentimento nacional do que nos norteia no vasto leque linguístico-cultural guineense, fazendo pairar, na linha da interacção entre gerações, o ensejo de alicerçar uma sólida pedra para a reformulação dos traços identitários da literatura do saber guineense na sua dimensão pluricêntrica.
E o tantam mandou uma manga de mantenha para todos os filhos e amigos da Guiné! Anumbara!

O Editor

domingo, novembro 19, 2006

No findji segu tudu no totoli


No findji segu tudu no totoli
no na mopi padja seku pa leteti
pa ka manhoka puntanu kaminhu
Alanu sikidu na pidi simola na porta di igresia

Staka na sumiadu na tchon pa tapada
pintchadur di lenha na fugon sin brasa...
bixa di pis na markadu ku lata di sardinha
disna di ontordia pasadu di noti na taliu
anos tudu i kornabifi buluradu na pakoti di Pam
Kasabi di baka produzidu pa alimenta mundu

Anos i kasisa ku bin kumpanha tchur di Nghala
na kada banda ku tisidu na tear no mantenha tip iar
no na ndjita ku bingala pa tchiga NTULA
kontatchur ka topi silin ku fadi sineta
ninguin pa bai fera ka ten - rekadu maina
bumbulum rodja mukur
ai manganas na nha kankra manhoti djopoti!

Mininus panha apolo bas di sombra di polon
Aboplo kamba mar di Uno sin pera Unal
Manhoka tchiga ku bon kombersa di djiresa
Santchu disi di po ku si tudu tulesa
Segus di bardadi tchuli dedu kuma kaminhu i pali
kuma na sukuru ku udju di fonti ta iabri pa iagu gustus soronda

No pupa bibo
no karga alma ku ka bibu no sintanda na baranda
kikia kuma kuiiuu
pa disgrasia gasidjanta moransa ku matansa
no distindi stera di tchur no tchora no kasabi paki anos i kasisa
si dun di un udju kuma lungha kai sol tchon purmer ka no djusia
no ruma no mbludju no pui na skina di strada te pa oki kandonga intchi
No nkunha na tapada di sol no djunpini bisinhansa
ku udju regilidu no rapada

01.05.04 02:40

segunda-feira, novembro 06, 2006